sábado, 27 de dezembro de 2014

Auto-Modelar não, Alto Modelar!


Modelamos diariamente nossos sonhos para caber em expectativas que, em muitas vezes, nem nossas são. Hoje essa frase ecoou na minha mente após a conversa com o Senhor Carlinhos. Atualmente dorme em um cômodo numa pensão de mais seiláquantas pessoas. Mas como ele mesmo disse, apenas dorme, pois ele mora é na rua. Carlinhos tem um buraco com pus na cabeça, foi um tiro. Carlinhos sobe a rua da minha casa praticamente se rastejando. O seu pé direito parece uma bola gigantesca de futebol, perdeu o movimento junto com o braço direito.... Ainda não perguntei o que é. Carlinhos se emociona todos os dias que para em frente de casa pra me contar dos filhos dele. Ele sente saudades mas sobre o que me diz...Ela não é recíproca. Carlinhos me contou várias histórias tristes mas, mesmo assim.... No final de todos os dias que conversamos ele me fita fundo, com os olhos brilhantes de quem gosta de atenção, esbanja um sorriso meio à cara barbuda... Pega na minha mão em forma de agradecimento e vai descendo o "morro" como ele preferiu chamar a enorme descida de casa. Carlinhos reza. Mas reza em silêncio... E como ele disse hoje mesmo... "Se eu não morri até hoje, com um tiro na cabeça e com tantas doenças... Se já perdi meus pais da Terra... Quem me olha é o Deus ali de cima. O nosso pai... E Lê... Ele também olha por você" Obrigada, Carlinhos.
Por hoje é o que eu precisava. Carlinhos não modelou a vida dele por ninguém. Ele é malandro, como ele mesmo preferiu dizer, ele é um cara errado. Mas tem a consciência dos seus erros. Já foi preso e atualmente agradece por estar na sua situação que se encontra, diz que assim é bom pra não fazer coisa errada. E desculpem-me os descrentes... Como não acreditar em um bem maior? Como não acreditar em um Deus que nos dá tudo o que precisamos para nos moldar? Não precisamos fazer isso por ninguém... Não precisamos nos mudar a não ser por nós mesmos não é, Carlinhos? 


Um comentário:

  1. Obrigada Carlinhos e Letícia, por não me deixarem esquecer disso.

    ResponderExcluir