domingo, 19 de setembro de 2010

Escrevo finais felizes, para atrai-los.


Um grande salão onde no seu interior havia somente um piano, algumas velas que juntas formavam um círculo, eu e você.
O piano era dominado por um anjo azul que tocava músicas suaves e agradáveis. Eu por minha vez era dominada por você... Lembra-se?
Dançávamos em total sintonia e se eu tivesse um poder, ali faria o tempo parar!
Seus olhos estavam fixos aos meus. Minhas mãos eram fortes e decididas sobre suas costas: Pressionava seu corpo, mas desejava realmente era sua alma.
Me encontrava em perfeito estado de êxtase, ou quem sabe apenas muito feliz. Feliz a ponto de me comparar as estrelas que brincam de pega-pega pelo céu. Lá não era o céu. Eu não era, e não sou estrela. E nós definitivamente não estávamos a brincar.
Convenhamos.. Era o mais precioso pacto que um anjo iria presenciar.
Até nos dias atuais sinto a onda de energias que passavam do meu corpo ao teu, e do teu ao meu, reflexos de amor... Amor forte, vindo de pessoas fracas: Foi aí que aconteceu!
- EU ME ENTREGO, ME ENTREGO A VOCÊ! - Fui a primeira a demonstrar a fraqueza que estava coberta diante de tanta frieza.
O anjo azul olhou para as velas, que em segundos se apagaram consecutivamente.
- Você aceita se casar comigo? - Sua frase foi breve e convicta - Mas não pude deixar de notar que você estava tremendo.
- Medo ou emoção? - Interroguei.
- VOCÊ ACEITA SE CASAR COMIGO, MENINA?
- Eu aceito me casar com você, "MENINA".

A música continuava, o anjo sorria... Minha vida a partir daquele segundo, foi só alegria.

Um comentário:

  1. Piano e Anjo Azul... isso me é muito familiar.

    ResponderExcluir