segunda-feira, 13 de maio de 2013

Minha eterna Flor de cerejeira.


Dançávamos pela grama molhada de chuva no calor da primavera e não pensávamos em outra coisa que não fosse aquele momento. Lembro-me como se fosse ontem da sua risada espontânea após o meu tropeçar num tronco fazendo com que eu caísse puxando você pra cima de mim. O momento era totalmente propício pra eu dizer o quão minha vida havia mudado após o saber da tua existência mas você me fitava tão profundo que parecia despencar do eterno abismo desse meu olhar. Minhas mãos pareciam um laço em volta do teu corpo trêmulo ao desvendar um fato tão delicado quanto poético: Sou o enfeite que sempre faltou no teu existir.
Após meros segundos em silêncio onde o único barulho que ouvíamos era o de nossas respirações intensas, como um ímã, nossas bocas foram aos poucos aproximando-se e se tem algo que nunca vou me esquecer é da tua língua deslizando pelos teus próprios lábios ao demonstrar toda vontade incontrolável que transbordava pela tua face transparente.
Digo convicta até hoje que não foi um beijo e sim uma entrega. Sinceras energias positivas sugadas através do encontro labial mas que infelizmente não foram o suficiente pra arrancar e triturar a doença que dia após dia se propagava em teu corpo frágil e coração tão forte quanto as cenas do nosso verão. O verão mais bonito da minha vida com direito a amor nos balões em céu azul e promessas arremessadas dentro de garrafas ao mar: "Quando eu partir, deixe-me no lugar mais bonito que há em você?" Disse enquanto encarava as ondas e eu, tentando evitar as lágrimas que insistiam em escorregar serenas pela minha face, respondi: "Só se guardar um pedacinho de nuvem pra eu me deitar contigo toda vez que eu sonhar, princesa." Deu-me o abraço mais forte e verdadeiro que pude sentir, de algum modo, acho que ela sentia que seria um dos últimos. Aliás ela tinha mesmo esse poder de saber tudo de tudo, inclusive de como se fazer presente por onde eu trilhar. Sinto teu cheiro de flor de cerejeira toda vez que vou nas areias dessa mesma praia que pra sempre levará e trará as promessas imortais e cantarolo: "Que prazer mais egoísta
O de cuidar de um outro ser
Mesmo se dando mais
Do que se tem pra receber
E é por isso que eu te chamo
Minha flor, meu bebê".

13 comentários:

  1. Queria tanto saber o que dizer a cada vez que leio um novo texto teu. Você enche meus olhos de poesia e isso é impagável.

    ResponderExcluir
  2. Lindo demais. Parece que consigo sentir cada palavra tua. Gosto de textos assim.

    =*

    ResponderExcluir
  3. Incrível a sua escrita.
    É delicioso ler cada texto seu Lê :)

    ResponderExcluir
  4. O olfato é uma força podesora quando falamos de amor...

    bjos

    ResponderExcluir
  5. Que amor mais forte, mais lindo mais intenso. Nada melhor que o beijo da entrega para quem a gente ama.

    Lindo texto.

    ResponderExcluir
  6. Maravilhoso! *.*

    Seus textos são sempre um deleite onírico com direito a deixar nossas mentes viajando em suas palavras.

    abraços!

    http://princessandfashion.wordpress.com

    ResponderExcluir
  7. Acho que você leu o texto pensando noutro assunto. Mas depois a gente se fala e esclarece isso em privado.
    Irá ter parte dois, e mais partes. Desde que a coragem venha até mim. Mas eu depois te explico.

    É claro que eu sei, né, meu doce *.*

    ResponderExcluir
  8. Ah, que lindo! E a música do Cazuza encerrando o texto... Muito amor!

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  9. '-' muito amor! é bom estar vivendo uma paixão! =/

    ResponderExcluir
  10. Adoro seus textos, me deixam inspirada.
    Tão românticos que me arrancam suspiros *o*

    Beijão, Lari.❤
    Vitamina de Pimenta
    @laricrazy_

    ResponderExcluir
  11. Que texto lindo Lari!
    Você sempre arrasando né?
    Beijos lindona!
    Blog:
    http://alineperobello.blogspot.com.br/

    Fan Page:
    https://www.facebook.com/pages/Estillo-A/128701730607501?ref=ts&fref=ts

    Youtube:
    http://www.youtube.com/channel/UC2earMW6nsooQbdHWFs72bg/videos

    ResponderExcluir
  12. Esse título me lembrou uma sutileza de James Joyce: http://vimeo.com/52866186

    ResponderExcluir
  13. Profundamente apaixonante. *-*

    ResponderExcluir