quinta-feira, 4 de julho de 2013

Desatino


Cegos ficam os meus olhos para momentos lastimáveis. Homem humilhando gente da mesma raça. Seres desprovidos de caridade. Lixo verbal diariamente espalhado pela cidade. Estou a ficar cega mas não muda. Jamais mudarei. Por isso grito. Escrevo. Vomito. Cadê a garota doce? Ficou cega mas não muda. Reserve dois minutos mas ouça o que tenho pra dizer. Pra te dizer: Estou aqui e não estou mais vendo as burradas de todos vocês. Sou cega mas não surda. Conta uma piada. Faça-me rir. Não ria de mim. Tampouco por mim. Cadê a garota do sorriso encantado? Costurou a boca. Costureira cega solitária. Agora também é muda. Muda pra lá. Não venha pra cá. Fica com esse retrato que tirei d'ocê comigo dos dias que eu era alguém normal. "Normal".

10 comentários:

  1. O que enriquece muito os seus textos é essa facilidade que você tem de brincar com as palavras, combinando-as das formas mais inesperadas, quase como se desse um novo significado a elas.

    Sabe, Lê, acho que eu também fiquei cega, talvez um pouco muda eu sempre fui, mas transbordo tudo que eu não sei dizer para o papel.

    Beijos, querida.
    www.eraoutravezamor.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Talvez essas mudanças são feitas aos poucos durante a nossa vida e a gente nem vai percebendo. Quando chegamos lá na frente, aí gente vê, ouve, se desespera. Mas quem escreve, é quase sempre um alívio, uma saída... Mas também pode ser a morte.

    Lindo texto, Letícia!
    Abraços, Arih

    ResponderExcluir
  3. Ser normal é muito difícil, minha querida, mas a gente pode buscar essa normalidade, com calma, sem desespero! Meu beijo.

    ResponderExcluir
  4. Normal. O que seria esse normal? Normal pra mim ficar cega diante de tantas 'paisagens' desumanas por aí e ficar surda diante de tanta poluição sonora...

    Belo texto!
    Beijos
    Meu outro lado

    ResponderExcluir
  5. Para, pega, escreve, sente, desenvolve, apaga. Reescreve e fica assim. Se ser normal é não poder escrever todas essas coisas sendo entendidas por cada um de uma forma. Eu não quero ser.

    ResponderExcluir
  6. Esse texto lê-se-ia em berros, se pudesse.
    Inquieto, chama a atenção e afirma sua decisão de não ser mundana.

    Grande texto.

    ResponderExcluir
  7. O "normal" empobrece a grandeza de muitas personalidades. Viver acima da normalidade certamente é a ação mais sensata nos dias em vivemos. Dias de escória.
    beijos!
    http://princessandfashion.wordpress.com

    ResponderExcluir
  8. Nem sempre "ser normal" é ser feliz.
    Nem sempre "ser normal" é mudar algo.
    Normalidade é para os que se acomodam com que os outros consideram padrão. E padrão não nem sempre é bom.

    ResponderExcluir
  9. o grito que tentamos abafar sai em palavras,ufa!

    ResponderExcluir