quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Onde o sol não alcança.


Triturava as folhas secas com seu dockside vermelho sujo, no fundo do seu quintal-floresta, a parte predileta da sua casa.
Domingo, manhã, outono e seus passos circulares no ritmo da sua mente-moinho.
Ventania suave bailando com as flores, camisa floral amassada, face pálida, menina perfumada.
Triturava as folhas secas apenas para distrair os ouvidos do som que a perseguia quando tinha seus surtos, queria ouvir algo diferente que não fosse o seu coração explodindo em arritmia.
Doença, falta de crença, carência.
Apenas um metro e cinquenta e nove centímetros de gente, quarenta e oito quilos, nada atraente.
 - Ela não virá.
Ela não virá. -  Sussurravam seus fantasmas internos.
Deitou na grama úmida e despiu-se timidamente para o sol que penetrava poros adentro sem pudor algum.
Louca! Ela estava nua e louca tendo a certeza de que passaria a tarde inteira apenas com os raios solares e sua mão desajuizada mas por bençãos divinas:
A
Campainha
Tocou.
Levantou-se e em três segundos abotoou sua camisa ironicamente, pois sabia que não demoraria muito para arranca-la novamente.  Batom vermelho, franja bagunçada pro lado, chave do portão.
O sol fora desprezado com a chegada da garota que lhe roubara a paz.
Quis chorar de felicidade, quis abraçá-la pra nunca mais soltar, quis vomitar toda sua necessidade reprimida mas com a face bem serena, destrancou o portão e tudo que conseguiu fazer foi soltar essa frase quase que muda:
"Sabia que tu viria". - Estendeu a mão e conduziu a menina de vestido branco até um lugar secreto para fazê-la desfrutar de algo que nem o raio solar mais comprido e intenso pôde alcançar.
Neste dia percorreram várias Galáxias perdidas sem nome mas com rumo: Prazer, amor.

7 comentários:

  1. Onde o sol não alcança, só o desejo e o amor poder chegar...

    bjos

    ResponderExcluir
  2. "Sabia que tu viria".

    Que sensação gostosa não? Quando o nosso coração diz que não vai acontecer, mas o universo prova o contrário. Gostei do teu blog, gostei mais ainda do teu perfil. Muito bom :*

    veronicareis.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oii, me segue la tbm
    @camylacerda
    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Este texto transmite tantas sensações... impossível não entrar na pele da personagem "de camisa floral amassada" e não sentir por um momento o turbilhão de sentimentos que a agita.
    A literatura tem esse poder tão fascinante de vivermos histórias não nossas e ao mesmo tempo tão nossas!
    abraços.

    ResponderExcluir
  5. "queria ouvir algo diferente que não fosse o seu coração explodindo em arritmia."

    Você tem uma escrita linda e diferente. Adorei.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Que suave! A sensação que essas linhas me passaram é tão delicada e sutil que a vontade era de me debruçar sobre elas imaginando as cenas dessa história.
    Obrigada pelo singelo e carinhoso comentário!
    Beijo em você!

    ResponderExcluir
  7. Nossa, que vigem maravilhosa.
    Lindíssimo, singelo, um toque de cinema, de vintage. Os detalhes ganharam vida.

    Parabéns!

    ResponderExcluir